BLOG VEJA AGORA - Notícias com veracidade dos fatos

SETORES PRECONCEITUOSOS DO PMDB, NÃO ACEITAM EM HIPÓTESE ALGUMA, UM NEGRO E EX-ZELADOR DO PARTIDO SE TORNAR PREFEITO

fabio-caminhada-013-1024x765Os últimos movimentos por parte de alguns membros nefastos e rasteiros do Partido do Movimento Democrático Brasileiro – PMDB, mostram que eles não aceitam, em hipótese alguma, a possibilidade de entregar o partido para o vereador e pré-candidato à prefeitura de São Luís, Fábio Câmara. Eles não engolem a possibilidade de um ex-faxineiro e negro, se tornar prefeito desta capital falida e sucateada ao longo de décadas por uma elite que sempre se apossou dos cofres do município e nunca fizeram reformas e mudanças estruturais que São Luís tanto necessita.

Os paladinos amilhados do poder leonino só não contavam que a ex-governadora e a melhor prefeita que São Luís já teve, Roseana Sarney, iria sair em defesa da candidatura de Câmara, como política é feita por gestos, Roseana tem demonstrado querer voltar à rotina política e tratou logo de assumir o comando do PMDB-Mulher, para se aproximar das decisões do partido. E os aliados de quem está no poder poderão em breve, ter uma amarga surpresa, se Roseana Sarney, que já chegou a ter 43% dos votos do povo capital em 2010, resolver cair de vez em busca de apoios ao pré-candidato à prefeitura de São Luís, Fábio Câmara. Em tempo: Câmara chegou ao PMDB, na década de 90, para fazer faxina na sede administrativa da legenda e por lá foi ficando e gostando das discussões políticas.

Negro e pobre, filho de uma lavadeira, como milhares de jovens maranhenses, não sabia, Fábio, que ele chegou para zelar o partido de maior relevância do país, e de pano de chão em chão, de vassoura em vassoura, enfrentando as dificuldades enfrentadas por quase todos os jovens maranhenses, Câmara conseguiu se eleger vereador de São Luís. E quem disse que seria fácil??? Os próximos passos de Fábio Câmara será o povo ludovicense que vai decidir, e, parafraseando o ex-prefeito João Castelo, que diz: Abaixo de Deus, só o povo comanda.

Tag: