Beto Castro
Blog Veja Agora | Com Junior Araujo - Notícia com veracidade dos fatos

Câmara dará posse a Carioca no lugar de Beto Castro

beto-castro-carioca-1201x540

O presidente da Câmara Municipal de São Luís, Astro de Ogum (PR), aguarda apenas uma notificação a ser emitida pelo Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão – TRE, para cumprir decisão do Tribunal Superior Eleitoral – TSE e dar posse ao suplente, Paulo Roberto Pinto, o “Carioca” (PHS), no lugar do vereador Beto Castro (PROS).

“Estamos aguardando apenas essa notificação do TRE para que a Mesa Diretora da Câmara Municipal possa cumprir a determinação judicial. Assim que chegar, cumprirei a decisão e, darei posse ao suplente Carioca”, afirmou o presidente Astro de Ogum.

O vereador Beto Castro foi acusado por Carioca, de usar duas identidades com nomes diferentes na eleição municipal de 2012.

O vereador teria usado documentos como Werbeth Macedo Castro e Werbeth Machado Castro. Beto Castro nega a acusação.

Em setembro de 2013, Beto Castro chegou a ter o mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral, mas, poucas horas após, por ordem da juíza Luzia Nepomucena, titular da 3ª Zona Eleitoral de São Luís, o vereador obteve uma liminar que assegurava sua sua permanência na Câmara até o julgamento de seu processo.

Em dezembro do mesmo ano o TRE-MA decidiu novamente cassar o mandato do vereador por 4 votos a 2. E em março de 2014 por 4 votos a 3, os membros do tribunal julgaram o recurso da defesa e reconduziram Beto Castro à Câmara dos Vereadores.

Vereador de São Luís é cassado no TSE

BETO CASTRO

O Tribunal Superior Eleitoral – TSE, julgou na noite de ontem (3), uma ação movida pelo suplente de vereador Paulo Roberto Pinto, o Carioca, e por 5 votos a 1, julgou procedente a ação e cassou o mandato do vereador Beto Castro (PROS).

Com a decisão, o “Carioca” suplente de Castro, que moveu a ação, poderá assumir sua vaga na Câmara Municipal de São Luís, tão logo ser publicado o acórdão com a decisão.

A ação questionava a legitimidade e a diplomação de Beto Castro e se baseou na questão de que o ainda vereador pode ter fraudado na justiça eleitoral a eleição.