Blog Veja Agora | Com Junior Araujo - Notícia com veracidade dos fatos

Sem ataques, vereador Álvaro Pires encaminhou propostas em convocação de secretário da SMTT

O vereador Álvaro Pires (PMN), que foi o responsável por finalizar o Relatório Final da Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI, que investigou vícios na licitação e problemas no transporte coletivo de São Luís, fez questão de pontuar e propor, durante a oitiva do secretário da SMTT, Diego Rodrigues, na tarde de ontem (3), na Câmara Municipal de São Luís, os caminho que a atual gestão deve seguir, agora em diante, para minimizar os erros, evitar novas greves e realizar melhorias no Sistema de Transporte Coletivo da Capital. Segundo o vereador, é primordial que a Prefeitura de São Luís, inicie lendo e executando tudo o que prever as recomendações do Relatório Final da CPI.
“Se o Executivo Municipal tivesse lido e ouvido, o que a gente propôs, São Luís não estaria passando por mais este lamentável momento, o Relatório Final da CPI é composto de propostas exequíveis, técnicas, de fácil compreensão e adaptação para as melhorias ao Sistema de Transporte”, afirmou o vereador.
O parlamentar aconselhou também, durante a audiência de convocação, ao secretário Diego Rodrigues, para que ele leia e se aprofunde nas cerca de 200 páginas do relatório técnico propositivo da CPI, que segundo ele, são propostas que, hoje, são aplicadas em outras cidades como Teresina e Belo Horizonte, mas que até o momento não foram adotadas pela Prefeitura de São Luís.
Entre tantas soluções propostas por Álvaro Pires está a revisão dos contratos da licitação entre o Poder Executivo Municipal, a Empresa Primor e os três consórcios que exploram os serviços de transporte de passageiros. Pires propôs também medidas de arrecadação para subsidiar o sistema de transporte público coletivo, tais como a regulamentação dos estacionamentos na Capital, a criação de um Fundo Municipal do Transporte Coletivo, que serviria como uma forma de custeio do Sistema.
“Entre as alternativas que apresentamos está a de dar condições para que os ônibus possam rodar livre em faixas exclusivas, garantindo agilidade e conforto à população. A cada 2,5 km, o veículo consome um litro de diesel, então, se esses ônibus tiverem condições de rodar sem enfrentar engarrafamentos, sem estar trocando marcha, se implantarmos o corredor exclusivo aos ônibus na cidade toda, conseguiremos diminuir o custo e o consumo de combustível, além de proporcionar mais rapidez ao tráfego”, explicou.

Greve
Perguntado sobre a possibilidade de acontecer uma nova greve, o vereador Álvaro Pires disse que sim é possível ocorrer novas paralisações caso não haja um diálogo permanente entre os envolvidos, é necessário que haja prudência, tanto por parte dos empresários, quanto por parte da população. Uma guerra entre eles, só quem perde é a população, o comércio e os trabalhadores de São Luís, finalizou o vereador, durante a audiência na Câmara.